Baby Roger

A família vai aumentar, e agora, como fica o animal de estimação?

03/10/2018

Muitas famílias com animais de estimação escutam diversos palpites ao anunciarem a chegada de um bebê, muitas pessoas pensam que essa interação pode ser prejudicial para o recém-nascido, mas será que isso é mesmo verdade?

Existem diversos casos de animais de estimação que são abandonados por famílias que não buscam informações sobre esse convívio e acreditam que o bichinho poderá ser perigoso para a criança.

 

Sem conflito mamãe, vamos te ensinar a criar uma boa relação entre o seu o  bebê e o pet! 

 

Preparando o animal de estimação para a chegada do bebê

 

Como evitar o ciúmes do pet

 

O pet tem que entender desde o início que a família está aumentando, atitudes simples como apresentar o quartinho do bebê podem ajudar nesse processo.

A relação entre os animais domésticos e o bebê tem muitas benefícios, ter um pet em casa ajuda a criança desde cedo a se acostumar a conviver com outros seres que também precisam de cuidados especiais.

Além disso, o bebê vai perceber que os bichinhos de estimação também tem sentimentos e vão saber respeitar isso.

Muitas vezes os animais se tornam cúmplices das crianças, que são curiosas e sempre dispostas a brincar.

É importante que antes de começar esse contato inicial a criança tome todas as vacinas necessárias e o pediatra libere o contato, essa interação pode começar após os primeiros dias de vida do bebê.

Para que tudo saia bem, é necessário que essa aproximação seja feita de forma cautelosa em um ambiente agradável e sem muitas pessoas em volta.

É imprescindível que os primeiros contatos sejam monitorados para que ninguém se machuque, é necessários confiar no animal de estimação e ter a certeza que ele foi educado corretamente pois um primeiro contato inadequado pode fazer com que a criança tenha medo do bichinho.

 

Cuidados a serem tomados com os animais de estimação

 

Cuidados com animais de estimação

 

  • Sempre que o pequeno estiver brincando com o  bichinho de estimação é necessário que tenha a supervisão de um adulto, pois, em alguns casos o animal pode agir por instinto ou demostrar afeto de uma forma que machuque a criança;
  • É necessário que o banho e a higiene do pet estejam sempre em dia;
  • Vacinação e visitas ao veterinário são fundamentais;
  • Cuidado com objetos na mão do bebê;
  • O choro da criança também pode assustar o bichinho.

 

Cães e gatos

Criando responsabilidades

 

Os animais de estimação mais comuns são os gatos e os cachorros e os dois tem formas bem distintas de receber o novo membro da família.

No caso do cachorro, o bebê se torna mais um membro da matilha, mais um membro que ele irá proteger e amar, já o gato é mais independente, embora tenha afeto pela criança, é um animal mais reservado.

Outros animais comuns são os coelhos, pássaros, porquinho índia, que também precisam ter uma rotina de higienização para contato com o bebê.

Em muitos casos é comum que o animal de estimação, principalmente o cachorro, tenha ciúmes da criança, afinal, isso traz mudança significativas no comportamento dos pais que darão menos atenção ao pet.

Para melhorar essa adaptação uma dica é premiar o animal de estimação todas as vezes que ele tiver um bom comportamento perto do bebê, esse incentivo pode ser dado em forma de petisco ou com uma brincadeira que ele goste.

Conforme  a criança for crescendo e criando afeto pelo bichinho algumas responsabilidades podem ser dadas a ela, como acompanhar a visitar no veterinário, trocar a água entre outros.

 

Quer saber como outras famílias passaram por isso? Assista nosso vídeo exclusivo no Youtube!

NEWSLETTER


SIGA-NOS

UNIDADE - SP
Sul, Sudeste e Centro-Oeste
Av. Duque de Caxias, 2016 - Promeca
CEP: 13223-025 - Várzea Paulista / SP
Fone: (11) 4606-1515
Sac: (11) 4596-4660
UNIDADE - PE
Norte e Nordeste
R. João Ricardo da Silva, 84 - Cruz de Rebouças - Galpão 01
CEP: 53630-066 - Igarassú / PE
Fone: (81) 3312-1154
Sac: (81) 3312-1154
VOLTAR AO TOPO